Me siga nas redes sociais

Como Fugir da Falência nas Micro e Pequenas Empresas?

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Se você é um micro ou pequeno empresário certamente já passou por momentos bons e ruins no seu negócio. Dentre todos os possíveis problemas que pode se abater na vida de um empreendedor, o pior deles é a falência.

A falência representa para o empresário não só o fracasso do seu negócio mas também a morte de um sonho. Certamente foi depositado naquele empreendimento muitas horas de trabalho, dedicação, expectativas entre outras coisas, e quando o seu negócio chega ao fim há muitos pontos que precisam ser tratados, muitas consequências desse fracasso. A falência chega para 54% das empresas nos seus primeiros anos de vida, esse é um percentual alto, os fatores que levam as muitas empresas e empresários a falência são diversos mas a falência não chega de repente, um conjunto de decisões erras geram uma situação irreversível no final que culminam com o negócio.

Nesse artigo quero dar um alerta a todos os micro e pequenos empresários sobre atitudes,ações e principalmente decisões que muitas das vezes são os verdadeiros vilões que vão levar o seu negócio a falência.

Se você abriu recentemente o seu negócio ou está nos 2 ou 3 primeiros anos do mesmo fique atento a essas dicas, talvez você reconheça que tem cometido esses erros e tenha tempo para corrigir a sua rota antes que seja tarde demais.

1 – Gastos Pessoais Não São Gastos da Empresa

falencia

Uma questão que precisa ficar muito clara para todo empresário que quer uma empresa com a saúde financeira adequada é que as suas despesas são suas. Não confunda suas finanças com as finanças de sua empresa, e muito menos não use o dinheiro da empresa para cobrir suas despesas pessoais.

Esse é um erro muito grave que muitos cometem e que juntamente com outras péssimas práticas podem levar o seu negócio pro buraco. Sua empresa tem que ter conta bancária, gastos e investimentos totalmente independente de seus sócios. Não sangre a vida financeira de sua empresa para cobrir gastos pessoais.

 

2 – Gerir Uma Empresa Com Mentalidade de Empregado

O crescimento ou não de uma empresa está intimamente relacionada a forma como ela é administrada ou gerida.  Nas micro e pequenas empresas a gestão é muito ligada a forma como os donos pensam, ou seja, muito das suas crenças e valores serão passadas para a empresa e podem se tornar a cultura da mesma, e o que vai validar se a cultura da sua empresa será boa ou não, são os seus colaboradores.

Muito empresários se lançam no empreendedorismo com a mentalidade de um empregado, isso pode te custar o seu empreendimento. Quebrar barreiras como investir sem ter a certeza do retorno, não ter um salário fixo todo mês, desenvolver uma visão mais estratégica e menos operacional, ter responsabilidades que antes não existiam pode exigir muito de um novo empreendedor.

Creio fortemente que ninguém nasce empreendedor, você desenvolve as habilidades necessárias ao longo do tempo. O empreendedor que quer passar pelos primeiros anos mais críticos com menos riscos de falência deve buscar se aprimorar sempre através de cursos, Workshops, palestras e todo tipo de evento onde ele possa estar em contato com outros empresários trocando experiências e conhecimentos.

3 – Ausência de Controle dos Custos

controle-de-gastos

Se hoje sua empresa não tem controle dos custos você é um forte candidato a falência. As micro e pequenas empresas precisam ter todos os seu números muito bem controlados.

Uma empresa bem gerida precisa de controle. Você precisa conhecer profundamente os números de sua empresa mas para isso precisa ter tudo controlado, saber quanto sua empresa tá faturando, quanto tá gastando, estoque,contabilidade, recursos humanos, etc.

Só através desse controle você terá condições de saber se sua empresa está indo bem ou não. Indicadores são sempre necessários, eles vão te direcionar na tomada de decisão.

4 – Inexperiência no Ramo Escolhido para o Negócio

Um dos problemas em um empreendimento é quando você abre um negócio em uma área ou ramo de atividade em que não tem experiência ou conhecimento.

Atuar em um ramo conhecido vai te deixar mais confiante diante das dificuldades que todos os empresários passam. Escolha seu ramo de atuação com sabedoria e tenha domínio do que se tem praticado de melhor no seu nicho de atuação bem como as melhores práticas em todo mundo.

5 – Ter Sócios Ruins

falta-de-comprometimento-de-socios

Para um empreendimento  dar certo é necessário que os sócios envolvidos tenham a mesma visão e vontade. Se você tem sociedade com pessoas que não estão tão comprometidas com o sucesso, ou tem sócios desonestos a possibilidade do negócio não dar certo é muito grande.

Escolha bem os seus sócios, fatores como carácter, companheirismo, visão de negócios, vontade de trabalhar são essenciais. Um outro critério muito importante no momento de escolher alguém para ser seu sócio é observar as qualidades e defeitos do mesmo. Busque alguém que te complemente de alguma forma, alguém que tenha características complementares as suas.

 6 – Remuneração dos Sócios Incompatível com Faturamento

Como já foi dito anteriormente é fundamental ter o conhecimento dos números da empresa. Um erro fatal para qualquer negócio é quando os sócios possuem um padrão de vida incompatível com o faturamento da empresa.

Se a empresa está faturando bem, invista no próprio negócio, fazendo com que a empresa ganhe fôlego e se estabilize o mais rápido possível. O problema em muitos casos é que se a empresa faz uma grande venda ou tem um faturamento muito bom, os sócios logo lançam mão desse lucro e aumentam o seu padrão de vida, isso impede que a empresa tenha um fluxo de caixa adequado. Lembre-se: Empresa Rica, Dono Pobre.

7 – Não Ter Um Fluxo de Caixa Adequado

fluxo-de-caixa

O Fluxo de caixa te permite fazer uma análise completa da vida financeira da sua empresa. Com ela você tem condições de fazer projeções de futuros investimentos ou até mesmo quanto tempo sua empresa se mantém sem faturar nada.

Não ter um fluxo de caixa é condenar o seu negócio a falência. Durante os primeiros anos de uma empresa o foco dos sócios é fazer um fluxo de caixa adequado. Como sou um cara um pouco conservador diria que o ideal de um bom fluxo de caixa é de 12 meses, ou seja, sua empresa deve ter dinheiro em caixa o suficiente para se manter,  mesmo sem faturar absolutamente nada por 12 meses pelo menos. Tem essa folga nas finanças vai permitir avaliar alternativas para o seu negócio, buscar inovações e soluções para voltar a faturar.  Um empreendedor precisa ter essa folga nas finanças para ter a tranquilidade necessária para buscar alternativas para o seu negócio.

Ter um negócio de sucesso requer do empreendedor muito jogo de cintura, conhecimento, determinação e resiliência.  Todo tipo de negócio possui seus riscos e nós como empreendedores buscamos amenizar esses riscos ao máximo. Para fugir dos riscos da falência fique atento a essas dicas é busque identificar outros pontos que não foram citados nesse artigo, mas que ao analisar seus indicadores você certamente vai conseguir identificar.

Um forte abraço!!

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram