Missão Quase Impossível: Um sócio Ideal

Missão Quase Impossível: Um sócio Ideal

5 (100%) 1 vote

Talvez um dos maiores desafios que um empreendedor enfrenta quando está começando um negócio é encontrar um sócio ideal para o seu negócio. Essa dificuldade se dá por diversos motivos pois uma sociedade pode elevar ou destruir sua empresa.

Considero a escolha de um sócio tão importante quanto a escolha de uma esposa, pois em muitos casos você vai passar mais tempo com seu sócio do que com sua esposa.

Não existe uma receita de bolo para que você acerte 100% na escolha de um sócio, os critérios usados podem variar muito de um empresário para outro pois essa escolha está muito relacionada com suas necessidades, valores, crenças e visão de futuro.

Apesar de não existir uma receita de bolo, existem alguns critérios que se pode seguir na hora de escolher um sócio, tendo esses critérios bem claros você pode evitar muita dor de cabeça no futuro.

Para escolher um parceiro de negócios “ideal” você precisa alguém que:

1 – Tenha uma boa convivência com você

Parece óbvio falar essas coisas, mas é importante que seu futuro sócio seja uma pessoa que você já conviveu ou esteja convivendo, pois é no dia a dia que você vai entender melhor como a pessoa “funciona”.

Com a convivência você vai perceber qualidades e pontos de melhoria na personalidade de seu futuro sócio, isso será muito importante pois quanto melhor você conhecer seu sócio, melhor será o convívio com ele e as decisões do negócio tendem a ser mais tranquilas.

 2 – Tenha o mesmo propósito

O que quero dizer aqui é que seu sócio deve ser uma pessoa que tenha a mesma visão de uma empresa ideal ou que tenha o mesmo propósito. Não estou aqui me referindo a uma pessoa que pensa igual a você, longe disso, e para a saúde da sua empresa é necessário que isso não aconteça.

Quando me refiro a propósito estou falando de metas, objetivos, visão de futuro pois dificilmente seu negócio será bem-sucedido caso seu sócio não tenha a mesma visão e propósitos que você. Portando escolha com sabedoria, avalie se aquela pessoa que você está considerando para se seu sócio tem a mesma visão de futuro que você.

3 – Seja confiável

Talvez não precisasse falar disso, mas é fundamental que a pessoa que vai estar ao seu lado em algum empreendimento seja uma pessoa extremamente confiável.

Ter um sócio desonesto é uma das piores coisas que pode acontecer a um negócio, pois você vai pagar pelos erros dele. Os prejuízos quando se tem um sócio desonesto podem ser grandes, portanto creio que você avalie o caráter da pessoa, verifique se essa pessoa tem a capacidade de estar ao seu lado tanto em bons momentos como em ruins, verifique como é a relação dessa pessoa com o dinheiro, sim, a forma como a pessoa se relaciona com o dinheiro pode dizer muito sobre ela. Sua sociedade deve ser um casamento o mais próximo da perfeição possível pois vocês vão passar por dificuldades diversas e um sócio desonesto pode “abandonar o barco” quando você mais precisar e o pior, pode te abandonar te deixando com dívidas enormes. Sem confiança sem possibilidade de sociedade, simples assim.

4 – Tenha características complementares as suas

Esse ponto é de extrema importância pois nós tendemos a gostar e a ficar mais próximo de pessoas que pensam e muitas das vezes agem igual a gente, mas saiba que esse tipo de comportamento para uma sociedade pode ser muito nocivo.

Ter uma pessoa que pense diferente de você como sócio vai te fazer sair da sua zona de conforto, vai te desafiar a pensar e a enxergar sob uma ótica que você ainda não tinha pensado. O seu negócio só tem a ganhar com isso.

O seu sócio precisa ter características complementares as suas, ou seja, ele precisa ser bom em coisas que você não seja, ou dominar coisas e situações em que você se sinta desconfortável.

Para encontrar alguém com características complementares as suas você precisa antes de tudo ter a exata noção de quem você é e de suas características. Se você não se conhecer o suficiente poderá cometer o erro de ter um sócio com as mesmas habilidades interpessoais que você e quando surgir um desafio que exija algo diferente do que você e seu sócio tenha, a situação poderá ser difícil.

Se conhecendo e conhecendo seu sócio você terá plenas condições de extrair o melhor do potencial de cada um, colocando o seu negócio em uma posição privilegiada.

5 – Seja uma pessoa de resultados

O objetivo de uma sociedade pode ser muitas, mas essencialmente você busca por uma sociedade para potencializar seus resultados como empresário, aumentando seu número de clientes, seu faturamento, expandindo a empresa, etc.

O seu sócio precisa ser mais do que qualificado para ocupar tão posição, ele precisa ser uma pessoa de resultados, uma pessoa que vai agregar muito valor ao seu negócio, tanto em termos de conhecimento técnico como em experiência em como fazer a coisa dar certo.

Lembre-se: Qualificações é importante, mas a capacidade de gerar resultados sempre vai falar mais alto no mundo dos negócios.

Esses foram apenas alguns pontos que julgo ser importante na escolha de um sócio, com certeza existem muito mais critérios para serem observados.

Saber o que fazer no momento da escolha de um sócio é importante assim como saber o que NÃO FAZER. Evite cometer os seguintes erros no momento em que estiver escolhendo seu futuro parceiro de negócios:

1 – Confundir um sócio com um banco

Muitas pessoas buscam um sócio somente com o objetivo de ter alguém com capital para injetar dinheiro na empresa, mas isso é um grande erro, seu sócio deve ser uma pessoa que vá agregar valor, conhecimento e tração ao seu negócio.

2 – Escolher um parente ou amigo

Em alguns casos o empreendedor acaba escolhendo um parente ou amigo para ser um sócio ativo de seu negócio. Um amigo próximo ou um parente pode não ser uma boa opção para uma sociedade uma vez que tendemos a escolher pessoas que se parecem conosco em muitos aspectos, fora que o papel de um sócio é acrescentar conhecimento e experiência ao seu negócio.

Quando escolhemos um amigo podemos deixar de lado critérios que são importantes para a sociedade e isso pode prejudicar não só os negócios como a amizade também.

3 – Deixar o papel de cada um indefinido

É fundamental em uma sociedade deixar claro o papel que cada um vai desempenhar. Quando não definimos os papeis de cada sócio o ambiente de trabalho costuma se tornar um caos total, uma vez que os sócios podem interferir em uma atividade desenvolvida por outro ocasionando retrabalho ou desavenças.

Não tem nada que prejudica e desgasta as relações no dia a dia do que trabalhar em um ambiente caótico.

 4 – Não conversar sobre erros e acertos

Um outro erro que muitos sócios cometem é negligenciar a conversa sobre erros e acertos nas atividades do dia a dia. Lembre-se que para uma sociedade funcione bem será necessário muito diálogo entre os sócios.

Durante o início de uma sociedade principalmente a conversa franca e aberta se faz muito necessário até que os sócios já estejam em perfeita sintonia em relação ao trabalho. Converse e ajuste os ponteiros sempre que necessário.

Conclusão:

Escolher um bom sócio não é tarefa fácil, vai demandar do empreendedor muita perseverança, bom senso e sabedoria. O desenvolvimento e o futuro da sua empresa estão muito relacionados como ela é administrada e gerenciada.  Ter um bom sócio pode facilitar esse processo levando sua empresa a patamares nunca antes alcançado.

Comentarios
Elmar Oliveira
Elmar Oliveira
Consultor Business Intelligence e empreendedor. Formado em tecnologia da informação, é um estrategista em modelos de negócios para pequenos e médios empresários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *